top of page

Filmes natalinos disponíveis na Netflix

O serviço de streaming vem investindo cada vez mais em produções natalinas. Confira agora uma lista desses clichês que prometem aquecer seu coração.






Missão Presente de Natal


“Missão Presente de Natal” é mais um dos filmes natalinos disponíveis no catálogo da Netflix que não traz surpresas em seu roteiro. Kat Graham e Alexander Ludwing compõem o casal do enredo, interpretando Erica, assessora da Deputada Bradford (Virginia Madsen) e Andrew, piloto responsável pela Operação Presente de Natal, respectivamente.


Bradford, deputada do congresso norte-americano, envia sua assessora Erica para o Oceano Pacífico para que encontre irregularidades na base, pois a fim de reduzirem gastos, pretendem fechá-la. Chegando lá, descobre que Andrew, líder da Operação, planeja uma festa tradicional natalina para a arrecadação de mantimentos, remédios e utensílios escolares destinados às ilhas remotas. Disposto a converter o possível fechamento da base, o piloto inicia um tour pela ilha com Erica, mostrando suas belezas a fim de fazê-la mudar de ideia, que inicialmente permanece irredutível. Os protagonistas apresentam personalidades totalmente antagônicas, convivendo entre o ódio e o amor. Enquanto a assessora mostra-se uma pessoa arrogante, Andrew revela ser um cara bondoso e gentil, o que aos poucos, vai conquistando Erica.


O filme não foge do óbvio, mas diferentemente dos outros natalinos, a ambientação deste, não conta com a presença da neve. Além disso, traz à tona as questões humanitárias, que se intensificam nas vésperas do Natal. Apesar de não sentir muita química entre a dupla, o filme é emocionante, principalmente porque foi baseado em um fato real. A Operação Presente de Natal realizada pela Força Aérea dos EUA existe desde 1952 e atende principalmente a Ilha da Micronésia.


Uma Pousada de Presente

"Uma Pousada de Presente" possui um enredo semelhante com o do longa "Missão Presente de Natal”: o trabalho é importante para as protagonistas, se esforçam para conquistar um cargo melhor na empresa, os casais se odeiam a princípio, passam um tempo juntos e se apaixonam.


Jen Taylor (Tia Mowry-Hardrict), publicitária de sucesso, é uma forte candidata ao cargo de direção de criatividade, porém, seus planos mudam após herdar uma pousada no Alasca, de sua tia-avó. Lá, se encanta pela pequena cidade e pelo advogado Brian (RobMayes), responsável por cuidar dos documentos de sua falecida tia.


O filme parece um conto de fadas, perfeito para ser assistido em família, com muitos clichês e pouco drama.


Um Brinde ao Natal


O longa mais recente disponibilizado na plataforma de streaming promete emocionar o telespectador e consegue. Além de ser mais intenso que os outros do mesmo gênero, "Um Brinde ao Natal" foge um pouco das expectativas. Isso porque imaginamos um cenário coberto de neve, Papai Noel, decorações, luzes, e o filme não entrega nada disso.


Joseph (Josh Swickard) é um rico empresário e mulherengo que recebe uma missão de sua mãe: ir até uma fazenda local e convencer a dona de vende-la. Chegando lá, decide se passar por um ajudante e idealiza um plano para conquistar as terras, porém, as coisas não saem como o previsto e ele acaba se apaixonando por Collie (Lauren Swickard), que está irredutível em relação a venda.


Apesar das atuações deixarem a desejar, a química entre o casal é evidente, tanto que, na vida real, são casados. Além de Lauren atuar, ela é a responsável pelo roteiro da obra. A comédia romântica já faz sucesso entre os assinantes, tanto que está no top 10, e não é para menos.


Tudo Bem no Natal que Vem


O longa brasileiro “Tudo Bem no Natal que Vem” está disponível no catálogo da Netflix há pouco menos de um mês e já vem fazendo sucesso. O elenco conta com a presença de um dos ícones da comédia brasileira, Leandro Hassum, protagonista do filme “Até que sorte nos separe” e “O candidato honesto”.


Jorge (Leandro Hassum) é um homem mal-humorado, que não gosta de celebrar o Natal, muito menos seu aniversário, que coincidentemente acontecem no mesmo dia. Porém, ao sofrer um acidente, fica preso no dia 24. Durante o resto do ano, não se lembra de absolutamente nada. Desse modo, com várias perdas e tragédias, aprende a dar o devido valor à sua família e sua vida.


O filme é divertidíssimo, consegue arrancar boas gargalhadas do público, mas também emocionante. E claro, devemos dar muito valor aos filmes nacionais, e este é sem dúvida uma produção incrível da Netflix.


Uma Invenção de Natal


Outro filme inovador, que foge um pouco daquele clichê romântico, é “Uma Invenção de Natal”. O musical dirigido pelo veterano David Talbert transmite a magia do natal de um jeito um tanto quanto inusitado.


Jeronicus (Forest Whitaker) é um grande inventor que vê sua vida virar de cabeça pra baixo após seu aprendiz Gustafson (Keegan Michael-Key) traí-lo, roubando seu livro de invenções. Desse modo, as vendas dos brinquedos vão caindo, as contas se acumulando, sua esposa falece... Com todas essas tragédias, Jeronicus perde todo seu espírito natalino, torna-se um velho ranzinza e mal-humorado, cheio de dívidas. Porém, a situação muda com a chegada de sua neta Journey (Madalen Mills), que aos poucos vai quebrando todo o escudo que ele criou dentro de si.


O elenco principal da obra conta com artistas negros e a direção de arte está impecável. Toda a produção, tanto dos figurinos quanto dos cenários é exagerada, porém, é algo de se admirar. As músicas são divertidas, contagiantes e as danças, bem elaboradas. Apesar de cometer algumas falhas, o musical emociona e ao mesmo tempo nos diverte. Além disso, traz um pouco de uma relação pai e filha que por muitos anos não existiu. Criou-se muitas expectativas em torno deste filme, e com certeza não é para menos.


O Príncipe do Natal


“O Príncipe do Natal” é um daqueles filmes para ser assistido em uma bela tarde chuvosa junto com a família. Produzido e lançado em 2017, o elenco conta com a presença de Rose Mclver (Amber) e Ben Lamb (Richard).


Uma editora junior é convocada pela chefe para que vá até o reino de Aldovia investigar a suspeita de que o príncipe Richard abdicará o trono. Com o cancelamento da coletiva de imprensa, Amber, que prentende se tornar uma grande jornalista, se infiltra no castelo fingindo ser a tutora da princesa Emily, irmã mais nova do príncipe, a fim de voltar para Nova Iorque com algum material valioso para a imprensa. Mas claro, muitos imprevistos acontecem nesse meio tempo, inclusive, uma nova paixão.


O diretor Alex Zamm conduz a narrativa de forma leve, prendendo a atenção do espectador do início ao fim. Além disso, a interpretação da atriz mirim Honor Kneafsey (princesa Emily) encanta o público, tanto pela beleza quanto pela sua simpatia, que no início do longa não é tão evidente assim. Ela é uma daquelas personagens que odiamos a princípio, mas no decorrer, vai conquistando todos.


O Príncipe do Natal: Casamento Real


A continuação do primeiro filme foi disponibilizada no catálogo da Netflix em 2018 e tem como foco o casamento de Richard e Amber. Porém, a futura rainha encontra dificuldades em adaptar sua vida à nova rotina que a realeza exige. Além disso, o reino enfrenta séries crises econômicas, o que mantém o rei constantemente ocupado, atrapalhando sua convivência com Amber.


“O príncipe do Natal: Casamento Real” apresenta problemas obviamente solucionados pelo público, porém, alguns personagens conferem uma certa graça, como o pai de Amber, que além de atrapalhado, é extrovertido e o exagerado organizador de festas.


O Príncipe do Natal: Bebê Real


O último filme da trilogia lançado em 2019 apresenta os preparativos para a chegada do bebê real. Paralelo a isso, de 100 em 100 anos, um acordo de paz entre Aldovia e Penglia (reino vizinho) deve ser assinado. Todavia, a relíquia é roubada e Amber coloca suas habilidades jornalísticas em prática para descobrir quem a pegou. Caso não encontrem até meia noite das vésperas de Natal, uma maldição recairá sobre o ventre da rainha.


Talvez por ser o terceiro filme, o longa em alguns momentos torna-se exaustivo. A receita se repete: há um traidor dentro do palácio, logo o desmascaram e os problemas se resolvem antes da noite de Natal. Apesar de todo esse clichê, é um filme alegre.


O Natal Está no Ar


"O Natal Está no Ar" traz consigo uma mensagem significativa e talvez seja uma das melhores produções natalinas até então. Isso porque, tanto o elenco quanto o enredo dão ao espectador um certo aconchego no coração.


Rush (Romany Malco) trabalha em uma famosa rádio mas perde seu cargo assim que a empresa é comprada. Desse modo, deve deixar sua vida luxuosa para trás, porém, tal notícia não agrada seus quatro filhos mimados. Acostumados a terem tudo o que querem, na hora que desejam, a família se vê obrigada a deixar os bens materiais e viver de forma mais humilde.


O longa é objetivo, fluído, sem muita enrolação e traz a importância da família em uma belíssima mensagem. Cômico e emocionante na medida certa, o filme evidencia que, o que realmente importa, são as pessoas que estão ao nosso redor, e não nossos bens materiais. Além disso, mostra o quanto precisamos dar valor às pessoas, uma vez que, não sabemos quando as perderemos.


O Natal de Heidi


O longa-metragem dirigido por Sean Olson em 2018, traz em seu elenco a dupla Emily Osment, a qual interpreta Lilly Truscott (amiga de Hannah Montana) e Ryan Rottman.


Heidi é uma talentosa pintora que parte para Nova Iorque em busca da realização de seu sonho, porém, torna-se curadora de uma galeria. Semanas antes do Natal, sua irmã precisa viajar e aciona Heidi para que ela cuide dos sobrinhos. Chegando em sua cidade natal, descobre que ajudará Chris, seu ex namorado, a organizar o Baile de Inverno do colégio. Assim, seus sentimentos tanto pelo seu grande amor quanto pelas artes são redescobertos.


O início do reencontro do casal é bem típico de ex namorados: cheio de indiretas um para o outro e rancor, mas aos poucos, a relação vai se transformando e o óbvio acontece.


O Natal de Cinderela


O romance “O Natal de Cinderela” não poderia ser mais clichê. A atriz Laura Marano, que já atuou em séries da Disney, interpreta Kat, uma ingênua menina que sonha em se destacar no mundo pop com suas músicas. Porém, sua madrasta e suas irmãs postiças a humilham e ofuscam todo o seu brilho enquanto personagem, o que inclusive desperta raiva nos telespectadores. Ao trabalhar como elfo, aproxima-se de Dominick (Gregg Sulkin), o Papai Noel. O que ambos não sabem, é que já se conheceram em outras circunstâncias não muito legais.


Apesar de se assemelhar com o enredo de Cinderela, visto a maldade da madrasta e as irmãs, o musical traz alguns aspectos diferentes e diverte o espectador. Esse filme como mensagem, mostra que é possível sim nossos sonhos se realizarem, basta acreditar. Ah, e claro, a magia do Natal sempre dá um empurrãozinho.


O Feitiço do Natal


"O Feitiço do Natal" foi produzido pela Netflix em 2018 e traz novamente a atriz Kat Graham como protagonista. Neste clichê natalino, Kat interpreta a fotógrafa Abby, que sonha em ter um estúdio próprio. Em uma reunião familiar, seu avô a presenteia com um calendário do Advento antigo, o qual logo se revela ser mágico. Todos os dias, até o Natal, as portas se abrem e um brinquedo prevê o que acontecerá. Com isso, ela conhece um médico aparentemente dos sonhos, mas o destino tem outros planos para ela.


O filme mistura fantasia com romance, uma receita infalível para a produção de longas natalinos. Além disso, há muita química entre Abby e seu melhor amigo Josh (Quincy Brown), que acabam envolvidos em um triângulo amoroso. Não é difícil prever como terminará essa história, mas vale a pena conferir devido a doçura que esse filme traz.


Crônicas de Natal


O filme disponível na plataforma de streaming desde 2018 foge dos clichês românticos apresentados pela Netflix até então e traz um enredo mais familiar. "Crônicas de Natal" resgata o famoso Kurt Russell, o qual interpreta Papai Noel em uma atuação maravilhosa e divertida.


Teddy, é um adolescente mal-humorado que perdeu o espírito natalino desde que seu pai morreu e vive brigando com sua irmã Kate, que acredita na existência do Papai Noel. Na véspera de Natal, os dois arquitetam uma armadilha para flagrarem o bom velhinho e acabam embarcando em uma aventura com ele após destruírem seu trenó, com um propósito: salvar o Natal.


O longa-metragem promete brincar com o nosso imaginário e arrancar boas gargalhadas do público, oferecendo uma imagem totalmente irônica e engraçada do Papai Noel, mas claro, deixando em evidência sempre a sua bondade e generosidade. Além disso, para exibir toda a magia do Natal, a produção capricha nos efeitos especiais, muito bem feitos por sinal. Inclusive, uma das figuras mais divertidas e fofas, são os elfos, que trabalham para o Noel. O filme faz valer a pena cada segundo assistido e te prende do início ao fim.


Crônicas de Natal 2


Na segunda parte de "Crônicas de Natal", o propósito se assemelha com o da primeira: salvar o natal.

Já mais velha, Kate torna-se uma garota rabugenta totalmente insatisfeita com o novo namorado de sua mãe. Ao tentar ir embora do México para não ter que passar o Natal com sua família, é sequestrada junto com Jack (Jahzir Bruno), seu meio-irmão e levada para o Polo Norte, por um elfo amaldiçoado que quer destruir o Natal. Assim, os dois embarcam em uma aventura para ajudar a aldeia do Papai Noel.


Russell contracena com sua esposa Goldie Hawn, que atua como a Mamãe Noel e permanece sendo uma figura divertida. A direção de arte investiu pesado e ofereceu um ótimo cenário natalino. Apesar de ser menos desenvolvido que o primeiro, "Crônicas de Natal 2" ainda é um ótimo filme, principalmente para assistir em família.


Natal Sob Medida


O filme de 2018 conta com a presença de Jonatahn Bennet (sim, o Aaron, de Meninas Malvadas) e Alexa Vega, de Pequenos Espiões, interpretando Gretchen, uma decoradora de eventos que é contratada por Steven, um arquiteto ocupado.


A princípio, o relacionamento da dupla não começa muito bem, mas ao descobrir que sua família passará o Natal em sua casa, Steven contrata Gretchen para que ela seja uma espécie de embaixadora natalina, ou seja, a responsável pelas atividades e passeios envolvendo a comemoração. Em troca, o arquiteto promete novos clientes para ela. Todavia, o que ambos não esperavam é que, um sentimento surgiria.


A produção não surpreende os espectadores, mas faz com que o enredo seja acolhedor. Os personagens possuem sintonia e as decorações apresentadas são lindíssimas.


Lista de Desejos de Natal


“Lista de Desejos de Natal” foi lançado em 2014 e dirigido por Fred Olen Ray. A história tem como foco Sara (Ellen Hollman), uma escritora de livros infantis, especialista em histórias natalinas e que possui problemas pessoais com sua mãe, Michelle (Beth Broderick). Evie (Marion Ross), sua avó, precisa ser hospitalizada e como último desejo, entrega à neta uma lista de desejos para ter um natal perfeito, porém, mãe e filha devem realiza-la juntas.


O filme tem como enfoque a família, em como o Natal tem o poder de unir e reaproximar pessoas até então distantes, mas também contém uma história amorosa em segundo plano. Apesar do roteiro falho e da atuação deixar um pouco a desejar, o filme é emocionante e ótimo para ser assistido em família.


Estarei em Casa Para o Natal


O filme “Estarei em Casa Para o Natal” foi estreado em 2016 e dirigido por James Brolin. No elenco, há a presença de Giselle Eisenberg, atuando como a pequena e esperta Gracie Foster, o próprio diretor como o policial aposentado Jack Foster e Mena Suvari.


Jackie Foster, uma talentosa advogada, planeja um natal perfeito com sua filha Gracie, porém, seu pai, que não a via há mais de 3 anos devido a morte da esposa, aparece de surpresa na cidade e muda seus planos. A relação pai e filha é difícil, há muitas feridas abertas e assuntos pendentes a serem resolvidos.


A obra evidencia a importância do perdão, fazendo parecer fácil reconstruir relações que por muito tempo não existiram. Apesar dessa falha, é um filme emocionante e o verdadeiro protagonista divertirá o público com suas travessuras: o pastor alemão Nose.


A Princesa e a Plebeia


Outro clichê natalino produzido pela Netflix, "A Princesa e a Plebeia" não promete grandes novidades. Estrelado por Vanessa Hudgens, famosa por interpretar Gabriella Montez em High School Musical, o filme apresentado em 2018 desenvolve o conceito de sósia e nos remete um pouco ao clássico "Operação Cupido", em que as gêmeas trocam de lugar para viverem a vida uma da outra.


Stacy (Vanessa Hudgens), uma confeiteira brilhante de Chicago é convocada a participar de uma competição de culinária em Belgravia junto de seu sub-chefe, Kevin (Nick Sagar). Ao esbarrar-se com a Duquesa Margaret (também interpretada por Hudgens), futura princesa de Belgravia, ambas ficam impressionadas com a semelhança e decidem trocar de vida, pois Margaret almeja ser uma pessoa normal, pelo menos por dois dias. Acontece que, durante esse tempo, sentimentos imprevisíveis começam a surgir.


O amadurecimento de Vanessa como atriz é evidente, uma vez que interpreta dois papéis bem diferentes e se sai bem em todos eles. O filme é clássico de um jeito fofo, mas sem muita química entre os casais.


A Princesa e a Plebeia: Nova Aventura


Na continuação do longa lançado em 2018, Margaret e Kevin infelizmente rompem o relacionamento. Após a morte do Rei, a Duquesa de Montenaro deve assumir o trono, enquanto Kevin administra sua loja de cupckaes em Chicago. Stacy, que se tornou uma princesa, junto com seu marido, vai até Montenaro a fim prestigiar a coroação da amiga, e claro, tenta dar uma de cupido para que seus amigos voltem a ficar juntos. Como nem tudo são flores, uma nova sósia surge e promete estragar tudo.


Mais uma vez o destaque vai todo para Vanessa Hudgens, que interpretou três personagens com personalidades e características diferentes muito bem.


Um Passado de Presente


Outro longa estrelado por Vanessa Hudgens é "Um Passado de Presente". Neste filme original da Netflix, o telespectador pode esperar um pouco de feitiçaria e cenas que nos remetem ao século XIV.


Sir Cole (Josh Whitehouse) é um cavaleiro dos anos 1300 que vive em um vilarejo na Inglaterra. Ao sair para caçar, depara-se com uma feiticeira que, admirada com sua bondade, afirma que para ele se transformar em um verdadeiro cavaleiro, deve cumprir uma missão em um local distante. Desse modo, Cole é transportado para Ohio, no ano de 2019 e conhece Brooke (Vanessa Hudgens), uma professora descrente do amor. Com a ajuda do destino (ou não), os dois se conhecem em circunstâncias não muito agradáveis e um novo amor surge nessa relação.


Um passado de presente não apresenta praticamente nenhum conflito, o que reduz nossas expectativas quando o clímax surge. Além disso, gera certas inquietações no público devido a algumas situações improváveis. Apesar disso, o carisma e a doçura da dupla é admirável e faz com que prestemos atenção do início ao fim.


Cartão de Natal


"Cartão de Natal" é mais um dos clichês originais Netflix que conquista o coração de quem é fã desse gênero. A produção de 2017, conta com a australiana Eliza Taylor (Ellen Langford) e Jake Collins (Jake Lacy).


Ellen Langford é uma socialite que sempre está no centro das mídias. A fim de provar para seu pai que é capaz de herdar a empresa multimilionária, Ellen parte para sua cidade natal Snow Falls, onde aprende o verdadeiro significado de trabalho e caridade. Lá, assume outra identidade, para que a tratem como uma pessoa normal e claro, um novo crush surge no caminho.


A obra apresenta todos os itens obrigatórios de um clichê natalino. O desejo de conquistar um cargo mais relevante, o sentimento de amor e ódio entre o casal protagonista, o convívio que faz com que ambos se apaixonem, um imprevisto que acontece, os empecilhos se resolvendo na véspera de Natal, enfim... Apesar do enredo previsível, vale a pena ser assistido.


Sintonizados no Amor


Dirigido por Max McGuire, o romance “Sintonizados no amor” foi produzido e disponibilizado pela Netflix no mês de novembro. O elenco conta com Natalie Hall (Maggie) e Evan Williams (Jack) e é um daqueles filmes clichês, que possuem roteiros lógicos, mas que mesmo assim, todo mundo ama.


O enredo se passa em torno de dois grandes amigos, cujas famílias sempre foram bem próximas. Conselheiros amorosos, trabalham em uma rádio local, até que uma grande oportunidade de notoriedade surge. Para isso, devem apresentar seus companheiros ao vivo, na festa de ano novo que acontece no estabelecimento de seus pais, o qual inclusive enfrenta problemas financeiros sérios. Porém, as coisas não seguem como o planejado, e a fim de não perderem a audiência e serem reconhecidos mundialmente, resolvem fingir que são um casal, o que levaria os ouvintes à loucura. Todavia, tal brincadeira acaba despertando sentimentos até então reprimidos.


Apesar de ser do gênero romance, o filme pós natalino traz consigo o clima de festas de fim de ano, com cenários enfeitados, neve e muitas comemorações. Mesmo prevendo cada acontecimento que virá, vale muito a pena ser assistido, seu coração ficará quentinho e você se derreterá com a química dos personagens.










Comments


IMG_4417.jpg

Olá, que bom ver você por aqui!

Jornalista, 23 anos

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest
bottom of page